Depoimentos de Ex-Alunos

jf_phixr

“O pouco período que participei da Oficina de Iniciação à Criação Literária, em 2012, já consegui organizar um monte o que preciso produzir de textos, sejam relatórios técnicos (descrições bem mais detalhadas e precisas), das ordens ocultistas que participo (criação de personagens e entidades/elementais familiares), e também alguns fragmentos de letras de músicas conforme minha inspiração flui…”

~ Juliano Ferreira, músico e analista de redes

1236703_10200109981592659_1562153516_n_phixr“A Oficina de Iniciação à Criação Literária, ministrada por Robertson Frizero, tem me proporcionado curiosidades e aprendizados sobre a literatura, além de oportunizar o contato com pessoas extremamente criativas e a troca de ideias. Outro fator importante é que a oficina me permitiu aprimorar a escrita e contribui significativamente para o estímulo da imaginação. Depois que iniciei as atividades, nunca mais li com o mesmo olhar de antes.”
~ Ana Paula Figueiredo, escritora e jornalista formada pela Unisinos.
vitordilly““Ingressei na Oficina de Iniciação à Criação Literária seguindo os passos dos mamutes. Os proboscídeos de uma saga épica escrita por George Martin me conduziram, e os mesmos me mostraram, através de kebabs, de eu estava no lugar certo para uma maravilhosa jornada de iniciação. Foi lá que descobri a peça que faltava para completar o meu novo projeto literário, que agora tomo como o livro da minha vida. Tudo graças a Robertson Frizero e os mamutes.”

~ Vitor Dilly, designer gráfico da Seis Graus, formado pela Feevale e escritor.

0-0-0-0-0_phixr“Desde que ingressei na “Oficina de Criação Literária” na Sapere Aude! percebi que a minha escrita tornou-se muito mais eficiente. Saio de cada encontro com a sensação de que aprendi muitas coisas novas. A aula é uma troca de experiências única, em que, além do apoio do nosso querido Robertson, eu posso contar com a colaboração dos colegas, sempre dispostos a me ajudar quando estou em dúvida sobre um narrador ou sobre um personagem, para um novo projeto. Uma constatação: observando meus textos anteriores à Oficina concluo que evoluí muito, principalmente no que diz respeito aos excessos e clichês.”
~ Fernanda Melvee, estudante de Letras.
luis“Você não precisa ter pretensões literárias para tirar muito bom proveito dessa Oficina – mas, se tiver, mais recomendada ainda ela é. Muito bem estruturada, com temas apropriados, numa escolha muito feliz e competente do Beto para os fins da iniciação pretendida, você vai fazer bom uso do que lá se ensina por querer ser melhor leitor, tirar mais proveito das histórias e saber, em boa medida, como elas produzem seus efeitos de sentido. Sem contar que as aulas são divertidas, a gente nem vê o tempo passar na Sapere Aude! Livros, livraria onde elas acontecem, junção perfeita. Vale muito a pena ser aluno dessa Oficina!”
~Luís Edegar Costa, professor de História e Teoria da Arte da UFRGS,
doutor em Comunicação e Semiótica pela PUC-SP
.
fabiofortes“Comecei a escrever recentemente e a Oficina do Robertson é a quarta que faço. É a oficina que mais gosto de frequentar, pois o Beto tem algo raríssimo de encontrar. Ele alia o conhecimento técnico, um sólido embasamento literário e gramatical, com uma preocupação que nossos textos sejam atraentes, tarefa cada vez mais difícil em um universo no qual todas as pessoas tendem a ter déficit de atenção. Todo escritor quer ser lido e a oficina trabalha formidavelmente este ponto: O que esta nova geração de leitores quer?”
~ Fábio Fortes, auditor fiscal do Estado do RS e administrador formado pela PUC-Rio.